Vigilância em Saúde confirma transmissão comunitária da variante delta no RS


O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirmou, neste sábado (24), a transmissão comunitária da variante delta (B.1.617.2) do coronavírus no Rio Grande do Sul. A condição foi atestada por meio de comunicado após a comprovação do vínculo entre os dois primeiros casos, que contraíram a Covid-19 em Gramado, na Serra, e o surgimentos de novos casos suspeitos.

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) confirmou outro caso, em Nova Bassano, também na serra gaúcha, mas este este tem registro de viagem ao Rio de Janeiro.

Continua após as publicidades...

Receba notícias do site Portela Online pelo Whatsapp - clique aqui para entrar no grupo. Não tem mais vaga? Envie uma mensagem para (55) 99631-9327.

Continua a notícia...

O conceito de transmissão comunitária ou local é definido quando o contágio entre pessoas ocorre no mesmo território, sem histórico de viagem ou sem que seja possível definir de quem se contraiu a doença.

De acordo com a diretora do Cevs, Cynthia Molina Bastos, a confirmação do primeiro caso de Gramado por sequenciamento genético completo pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o aumento de prováveis casos de contaminação por essa linhagem identificadas pelo Cevs indicam que há circulação comunitária.

“A vacina protege contra essa variante, especialmente após a segunda dose no caso dos imunizantes que precisam de reforço. Mas a vacinação não impede que a pessoa se contamine e siga transmitindo o vírus. Por isso é preciso manter todos os cuidados de proteção contra a Covid-19, independentemente de ter tomado a vacina, principalmente quem possui qualquer fator de risco para complicações da doença”, ressaltou a diretora.

Leia mais no G1 – RS

Deixe um comentário