Alta do diesel e preocupação com o preço do frete: caminhoneiros projetam greve no dia 25 de julho

Foto: divulgação

O primeiro reajuste de combustíveis da gestão do general Joaquim Silva e Luna na Petrobras pegou os caminhoneiros de surpresa. Há menos de uma semana, membros do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) se reuniram com o presidente da estatal e pediram para que o preço do diesel não subisse.

“Deixamos claro na reunião que se o diesel subisse ia afetar seriamente não só os caminhoneiros, mas a sociedade em geral, que já está muito pressionada”, disse Plínio Nestor Dias, presidente do CNTRC.

Continua após as publicidades...
Continua o texto...

Apesar de ter baixo impacto na inflação oficial (IPCA), a alta do diesel afeta toda a cadeia produtiva, que depende do frete rodoviário para distribuição no País.

Dias afirmou que a greve dos caminhoneiros, marcada para o próximo dia 25, continua de pé e ganha força com a alta.

“Meu celular não parou o dia todo, são caminhoneiros querendo saber o que aconteceu. Vamos traçar nossa estratégia para ninguém sair prejudicado, mas vai ter greve”, informou.

Em nota, o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC) diz que os reajustes nos preços dos combustíveis promovidos pela Petrobras não têm explicações adequadas e que ferem determinações do Código de Defesa do Consumidor.

As primeiras manifestações de motoristas em grupos de WhatsApp sobre o assunto foram de descrédito e dividiram a categoria, porém, o último reajuste dos combustíveis impulsionou o manifesto.

Fonte: CNN Brasil