Autor de disparo que vitimou homem em Três Passos se apresenta à polícia e alega legítima defesa

A defesa do investigado por ser o autor de disparo de arma de fogo que atingiu Roberto de Morais, no último domingo (20), no interior de Três Passos, se manifestou oficialmente nesta quinta-feira (24). Morais, de 46 anos, veio a óbito no Hospital de Caridade, ainda na noite de domingo.

O advogado, Ricardo Granich, informa que o seu cliente apresentou-se na Delegacia de Polícia de Três Passos, nesta quinta, e deu a sua versão para os fatos ocorridos em sua residência naquela noite, inclusive entregando à polícia as filmagens do local, as quais, segundo a defesa, demonstram a dinâmica de como se desenrolou o fato.

Continua após as publicidades...

Receba notícias do site Portela Online pelo Whatsapp - clique aqui para entrar no grupo. Não tem mais vaga? Envie uma mensagem para (55) 99631-9327.

Continua a notícia...

No mesmo ato, foram ouvidas testemunhas do fato, que segundo a defesa, estavam presentes no momento do acontecido e confirmaram a versão dada pelo acusado.

De acordo com a Polícia Civil, o fato aconteceu em uma empresa, na localidade de Esquina Cinamomo. O delegado, Marion Volino, que coordena as investigações, afirma que a polícia segue realizando diligência e confirmou que obtiveram acesso a imagens do local do fato e foram ouvidas testemunhas, além de ser identificado o autor do disparo. “A alegação é de que ele agiu em legítima defesa, e nós ainda estamos em investigação”, declarou o delegado.

O investigado e sua defesa comprometeram-se em continuar auxiliando as autoridades policiais nas investigações e na elucidação do caso, afirmando que este fato “não tem qualquer relação, mesmo que de forma indireta, com o desaparecimento da irmã da vítima, fato acontecido há alguns anos em nosso município”.

O fato a que se refere a defesa, é de que a vítima do ocorrido, Roberto de Morais, é irmão de Cíntia Luana Ribeiro Morais, adolescente que estava grávida e que desapareceu quando tinha 14 anos de idade, em fato ocorrido há dez anos, em Três Passos. O paradeiro da adolescente até hoje não foi desvendado.

Fonte: Rádio Alto Uruguai

Deixe um comentário