Padre Pedro Wegmann, natural de Humaitá, morre vítima da Covid-19

Foto: Reprodução Facebook

O padre Pedro Clair Wegmann, de 61 anos, é mais uma vítima da Covid-19. Natural de Humaitá, ele faleceu às 16h50 desta segunda-feira (10) na UTI Covid da Unidade Dom Bosco de Santa Rosa, após sofrer uma embolia pulmonar e parada cardíaca como consequências da Covid-19. O sepultamento ocorreu nesta terça-feira (11), às 7h30, sem velório, no Cemitério São Roque de Humaitá.

O padre humaitense atualmente era pároco da Paróquia Santo Elias na cidade de Dourados, no Mato Grosso do Sul. De acordo com a família, há alguns dias, ele precisou trazer um colega padre para fazer um tratamento de saúde em Santa Maria. Como Humaitá – cidade na qual possui irmãos e demais familiares – fica no caminho, resolveu fazer uma parada para visitar os familiares durante o trajeto de volta para o Mato Grosso do Sul.

Continua após as publicidades...

Receba notícias do site Portela Online pelo Whatsapp - clique aqui para entrar no grupo. Não tem mais vaga? Envie uma mensagem para (55) 99631-9327. Continua o texto...

Logo na chegada, em Humaitá, no último dia 28, quarta-feira, o padre Pedro apresentou alguns sintomas gripais. Na sexta-feira seguinte, dia 30, foi submetido a teste que deu resultado positivo para a Covid-19. No sábado, dia 1º, o padre foi internado no Hospital Adesco de Humaitá mas, devido ao agravamento do quadro de saúde, na segunda-feira seguinte, dia 3, precisou ser transferido à UTI em Santa Rosa onde seguiu internado até o falecimento nesta segunda-feira (10).

Trajetória do padre humaitense

O padre Pedro Clair Wegmann nasceu no dia 7 de janeiro de 1960 em Humaitá. Filho de Antônio e Regina Maria Wegmann, é o sexto dentre os 10 filhos do casal. Ingressou no Seminário de Vale Vêneto com 21 anos. Em 1985 fez o noviciado em Lavallol, Argentina. Em 1986 fez a sua Primeira Consagração na Sociedade do Apostolado Católico e, em 1989, a Consagração Perpétua.

Ele fez o curso integrado de Filosofia e Teologia no Colégio Máximo Palotino, em Santa Maria. Em 1988, passou pelo estágio pastoral na Gleba Novo Horizonte do Sul, no Mato Grosso do Sul, e, em 1990, como diácono, trabalhou na cidade de Manaus, no Amazonas. No dia 30 de dezembro de 1990, em Humaitá, foi ordenado presbítero.

O padre Pedro atuou pastoralmente como vigário paroquial em 1991 e 1992 na Paróquia São Joaquim, em Verê, no Paraná. Em 1993 foi vigário paroquial na Paróquia São Francisco, em Ariquemes, Rondônia, e de 1994 a 1999, vigário paroquial na Paróquia São Luiz Gonzaga, de Porto Velho, Rondônia.

Nos anos de 2000 a 2005 foi pároco da Paróquia São João Batista, em Santo Augusto. Na segunda metade de 2005, atuou como vigário paroquial na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Porto Alegre. Nos anos de 2006 e 2007 atuou como pároco da Paróquia Corpo de Deus, em Vale Vêneto.

A partir 2008 até 2021 atuou na cidade de Dourados, Mato Grosso do Sul. Primeiramente como pároco da Paróquia Nossa Senhora de Fátima. Na sequência, no dia 22 de novembro de 2014, foi nomeado como o primeiro pároco da nova Paróquia Santo Elias, local onde trabalhava atualmente.

Fonte: Rádio Alto Uruguai

Deixe um comentário