Com maior registro de óbitos, RS permanece em bandeira preta pela sexta semana seguida

Governo do Estado manteve a bandeira preta, mas anunciou flexibilizações e retomada da cogestão; juiz, no entanto, suspendeu a decisão

O governo do Estado manteve nesta sexta-feira (2), pela sexta semana consecutiva, todo o Rio Grande do Sul em bandeira preta no mapa do distanciamento controlado. Na análise do Gabinete de Crise, apesar de haver uma redução na velocidade de propagação do coronavírus e no número de internados, o sistema hospitalar segue sob forte pressão, o que se traduz na elevada quantidade de mortes. O aumento de óbitos foi de 16% em uma semana, o maior registro desde o começo da pandemia.

Novamente, não haverá possibilidade de recurso por parte das associações municipais. Por isso, este já é considerado o mapa definitivo. Também segue suspensa a Regra 0-0, a partir da qual municípios sem registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias poderiam adotar protocolos de bandeira imediatamente inferior.

Continua após a publicidade...
Continua o texto...

No entanto, o sistema de cogestão segue mantido. Tendo como base somente as médias ponderadas finais de cada região, as 21 regiões covid estariam em bandeira vermelha, que indica risco alto para o coronavírus.

As regiões de Santa Rosa, Ijuí e Cruz Alta registraram a menor média ponderada final da rodada, de 1,98. A região de Cachoeira do Sul teve a mais alta média final, de 2,45, seguida por Capão da Canoa, cuja média ficou em 2,43.

Porém, devido ao acionamento da salvaguarda estadual, todas as regiões ficaram em bandeira preta. A ferramenta leva em consideração a razão de leitos livres de UTI sobre leitos ocupados por covid em UTI. Quando a razão estiver menor ou igual a 0,35 a nível estadual, a salvaguarda é acionada, e se sobrepõe a todas as outras regras.

 

Fonte: GauchaZH

Post Author: Portela Online