A Cruz do desbloqueio – Rabiscos do Silêncio

 

Continua após a publicidade...
Continua o texto...

O conhecimento da humana dor nos faz buscar com clareza o mistério da cruz e todos nós somos vulneráveis a dor. Existe em cada ser humano uma maneira própria de aceitar os sofrimentos, sejam estes físicos, morais ou psicológicos.


E a cruz existe para podermos compadecer-nos das pessoas que vivem a miserabilidade em espírito e não para justificar a dor como perda de algo que nos foi tirado, pois muitas vezes somos submetidos a sofrimentos que são provocados por desiquilíbrios emocionais, os quais levam as pessoas a perderam sua própria fé.


Mas não podemos entregar os sofrimentos somente às coisas terrenas, pois aqui tudo passa e estamos envolvidos com nosso passado, presente e futuro. É preciso saber integrar as coisas deste mundo com tudo que indica sinais da presença de Deus. Essa presença que nos faz ver o verdadeiro sentido e abre caminhos novos de esperança, paz e amor, fazendo com que olhemos para o alto da nossa consciência, no sentido figurado, e sintamos essa presença dos céus no nosso cotidiano.
Quando as coisas terrenas se encontram com a presença do céu tudo se converte para uma nova realidade. E então essa nova realidade se mostra como a luz que veio para desbloquear a comunicação da verdade e as trevas. A luz que chegou de mansinho, como desconhecido, nasceu numa manjedoura e brilhou nos tribunais dos homens, sendo julgado injustamente por mexer na mente dos exploradores do povo, principalmente dos pobres tidos como inválidos.


Essa luz é Nosso Senhor Jesus Cristo que sofreu em obediência a Deus que é nosso Pai. Porém não basta proclamá-lo como sendo o Salvador da humanidade sem sentir essa ligação entre céu e terra, fazendo bom uso de tudo que vêm de Deus, como a natureza, as pessoas e o Espírito Santo, sempre respeitando a soma que cada um de nós significa para a humanidade como passageiros do universo.


Muitas vezes procuramos abastecer a vida com a mutilação de ideias que não trazem benefícios à sociedade e alimentamos desconfiança com nosso individualismo, sem consultar a consciência ou o próprio DEUS, o que seria essncial já que Ele sabe as origens e os fins pelo quais tudo deve caminhar, tanto as coisas da terra como do céu.


Foi para isso que Ele enviou Nosso Senhor Jesus Cristo. Não para livrar-nos do peso da cruz que cada um de nós precisa saber carregar com as coisas deste mundo, nem para acomodar nossa consciência com os males que as pessoas produzem tendo os olhos vendados à construção de valores que nos ligam à perceptibilidade das coisas que não perecem, como paz, amor e compreensão.


Precisamos envolver-nos com a superação da vingança, ódio ou orgulho, pois isso contamina os ambientes em que estivermos inseridos e programa a mente para a violência, apego e discriminação, bloqueando com coisas terrenas a ligação de tudo o que Jesus Cristo nos revelou, através de um ensinamento prático e cheio de esperança. Sentir a sua presença em tudo que indica sinal de vida, oportunizado as pessoas a desbloquearem seus sentimentos a essa realidade é imprescindível pra viver-se bem.


E converter o nosso coração na busca constante do perdão agrega valor à existência, afinal quem perdoa vive melhor, suportando todas as agressividades que estejam alojadas em pessoas individualistas e que não sentem a dor das cruzes dos menos acolhidos da sociedade. Jesus Cristo nos envolve, mostrando uma nova direção para a vida, com as coisas terrenas desbloqueando o caminho que estava coberto pelas trevas quando mostrou com sua cruz a imagem de Deus Pai. Mas é preciso cada um de nós fazer a sua parte, sabendo integralizar as coisas deste mundo com tudo o que Ele nos ensina, de maneira indissolúvel para o bem da própria alma.

Post Author: Portela Online