Dentro do Jogo: Gre-Nal da virada e da vantagem na liderança

O que é o futebol, um jogo onde perecia que tudo estava perdido em questão de minutos vira uma vitória e boa vantagem na ponta da tabela.

Realmente o jogo só acaba quando o juiz apita o final, ainda mais em um duelo onde estava valendo muita coisa tanto para o Internacional quanto para o Grêmio.

Continua após a publicidade...

Clássicos são decididos nos detalhes e este Gre-Nal foi decidido nas “jogadas dos mestres”, ou melhor, dos técnicos. As decisões na etapa final de Renato Portaluppi e Abel Braga mudaram o rumo da partida. E quem se deu melhor desta vez foi o comandante colorado.

Certo que o jogo foi decidido em um lance polêmico. O que realmente valeu foi a persistência e a força de vontade de uma equipe que quer ser campeã.

O Inter jogou melhor no primeiro tempo, mas não conseguia ser agressivo e eficaz no ataque. O Grêmio segurava o colorado com eficiência, mas sem um meio de campo produtivo não criava grande perigo ao gol adversário.

Na segunda etapa o duelo ganhou fortes emoções. A primeira “jogada” foi do mestre Renato, que recuperou o meio de campo gremista. Com a entrada de Maicon no setor, o tricolor ganha forças e empurra os colorados para trás, conseguem o gol e poderiam ter conquistado um placar mais elástico.

Abel demorou para fazer sua “jogada de mestre”, esperou e se deu melhor. Quando parecia que o clássico estava perdido o técnico muda peças e coloca a equipe pra cima, aposta na bola área. Abel Hernández e Nonato entram e mudam o Inter e o jogo. As trocas e a persistência do grupo foram fundamentais para a virada.

Quebrando uma sequência de onze clássicos sem ganhar, chegando a oitava vitória seguida no brasileiro, colorados ganham ainda mais credenciais para o titulo e só dependendo de si. Já o Grêmio briga por título só o da Copa do Brasil.

Por Marieli Pessotto – Colunista Dentro do Jogo

Foto: Ricardo Duarte / Assessoria Internacional

Post Author: Marieli Pessotto