RS segue com 20 regiões em bandeira vermelha no Distanciamento Controlado

Divulgação

O governo do Rio Grande do Sul divulgou, nesta segunda-feira, 7 de dezembro, que indeferiu os oito pedidos de reconsideração de bandeiras enviados ao mapa preliminar do Distanciamento Controlado. Assim, manterá as 20 regiões em bandeira vermelha na 31ª rodada do plano, que inicia oficialmente à 0h desta terça-feira e segue até as 23h59min da segunda-feira, 14 de dezembro.

Apenas a área de Taquara – com oito municípios – foi classificada na bandeira laranja. O restante ficou na bandeira vermelha, que é dada a regiões com alto risco de contaminação pelo coronavírus. É a primeira vez, em 31 rodadas, que o mapa definitivo tem apenas uma bandeira laranja e 20 regiões vermelhas.

Continua após as publicidades...
Continua o texto...

As regiões em bandeira vermelha são: Porto Alegre, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Capão da Canoa, Canoas, Ijuí, Palmeira das Missões, Erechim, Uruguaiana, Santa Maria, Lajeado, Santo Ângelo, Santa Rosa, Cruz Alta, Bagé, Santa Cruz do Sul, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul e Guaíba.

Piora nos indicadores 

O governo estadual decidiu manter as 20 regiões em bandeira vermelha devido a piora no número de casos de Covid-19 ativos (aumento de 20%), nos internados em leitos clínicos com Covid-19 registrados nos últimos sete dias (+15%) e nos óbitos nos últimos sete dias (+29%).

Segundo o governo estadual, os recursos foram indeferidos em função da contínua redução de leitos livres e do aumento da ocupação de leitos de UTI nas macrorregiões. Mesmo que algumas regiões tenham apresentado média final menor do que na semana passada, o Gabinete de Crise optou pela manutenção das restrições mais severas da bandeira vermelha em um esforço para diminuir o contágio nestes 14 dias.

Regra 0-0

Nesta 31ª rodada, 489 municípios estão classificados em bandeira vermelha, somando 11,1 milhões de habitantes. Desses, 194 cidades podem adotar protocolos de bandeira laranja, porque cumprem os critérios da Regra 0-0, ou seja, não têm registro de óbito ou hospitalização de moradores nos últimos 14 dias, desde que a prefeitura crie um regulamento local.

O sistema de cogestão segue suspenso até 14 de dezembro. Com isso, as bandeiras anunciadas devem ser aplicadas seguindo os protocolos definidos pelo Estado.

Fonte: Correio do Povo

Post Author: Portela Online