Liderança do PP e PT em queda: como ficam os partidos nas prefeituras do RS após as eleições

Divulgação

Com o fim do primeiro turno das eleições 2020 no Rio Grande do Sul, pouco mudou no cenário geral em relação à divisão partidária. Um levantamento do G1 com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que Progressistas e MDB se mantêm como os partidos com mais prefeituras.


Continua depois da publicidade...
Continue lendo...

Já o Partido dos Trabalhadores atinge o pior patamar em 20 anos nos executivos municipais gaúchos. (Veja o gráfico com os últimos cinco pleitos)

O Progressistas se manteve como o partido com mais prefeituras, posição que ocupa desde 2008. Nesta eleição, conquistou uma mais em relação a 2016 e chegou a 143 gestões em executivos municipais.

Pode conseguir mais uma prefeitura caso Sergio Cecchim, que foi para o segundo turno, seja eleito em Santa Maria.

O MDB conseguiu eleger mais três prefeitos e avançou para 134, se consolidando no segundo lugar. Também está no segundo turno de Porto Alegre, com Sebastião Melo.

Já o PDT perdeu 11 cadeiras de mandatários nos executivos gaúchos e fechou o primeiro turno com 65 prefeitos. Ainda assim, o partido de Leonel Brizola mantém o Rio Grande do Sul como um dos lugares onde é mais presente no país, logo atrás do Ceará.

O PTB venceu em mais quatro cidades e é o quarto partido com mais prefeituras conquistadas neste primeiro turno. Pode manter o poder em Canoas, caso Luiz Carlos Busato seja reeleito em segundo turno, ou perder o terceiro maior colégio eleitoral do estado para o PSD de Jairo Jorge, que tem cinco executivos no estado.

O PSDB ganhou em mais duas cidades e tem 27 prefeitos. É a quinta sigla com mais prefeituras. Está no segundo turno em três cidades: Caxias do Sul, Pelotas e Santa Maria. No entanto, perdeu a Capital ao não reeleger Nelson Marchezan Júnior.

Na contramão dos partidos que conquistaram mais municípios, o PT manteve a queda do pleito passado e terminou o primeiro turno com 23 executivos, 15 a menos do que em 2016 e o pior patamar em 20 anos.

A perda de expressividade pode ser atenuada caso eleja prefeitos em duas das cinco cidades mais populosas em segundo turno: Pepe Vargas, em Caxias do Sul, e Ivan Duarte, em Pelotas. Também pode voltar à Prefeitura de Porto Alegre como vice na chapa de Manuela D’Ávila, do PCdoB.

* O levantamento não considera os municípios em segundo turno e as candidaturas sub judice.

Fonte: G1 – RS

Post Author: Portela Online