Rabiscos do Silêncio – Constante aprendizado

CONSTANTE APRENDIZADO

Continua após as publicidades...

Receba notícias do site Portela Online pelo Whatsapp - clique aqui para entrar no grupo. Não tem mais vaga? Envie uma mensagem para (55) 99631-9327. Continua o texto...

Ninguém nasce sabendo tudo e nem deixa este mundo não sabendo nada. Estamos em um constante aprendizado. Cada pessoa traz dentro de si a capacidade em desenvolver sua criatividade, o que a coloca no centro do seu ser para, a partir dela, fazer as escolhas que vão sendo programadas na vida.

Em cada pessoa existe um desejo secreto e oculto que vai sendo revelado com a experiência da vida. Esse desejo é a síntese das realizações individuais e muitas vezes precisa ter alguém que perceba os sinais dos dons que a pessoa traz, traçado pela vontade no equilíbrio de sentir-se bem na profissão (vocação) que venha a desempenhar na sociedade. Essa pessoa pode ser algum parente, amigo ou alguém ligado à família num incentivo aberto, com palavras seguras.

E uma sociedade é composta de: crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos, onde todos tem direitos com obrigações que aproximam uns dos outros numa ligação com suas leis, costumes e tradições. Ninguém pode ser desconsiderado, excluído ou desvalorizado diante das instituições, sejam elas políticas, religiosas ou educacionais. Mas todos precisam trabalhar para o bem comum, na acolhida das necessidades de cada membro social ou familiar.

Que maravilha ter pais educando seus filhos com amor e filhos correspondendo a esse amor por interesse na acolhida dos seus ensinamentos, numa percepção que faz ver a felicidade sendo posta como valor recíproco na intenção de formar pessoas cultas, com cidadãos que ensinam e aprendem a ter equilíbrio na experiência da vida. A maior herança que os pais podem deixar para os filhos são os exemplos de honestidade pelos vínculos de fidelidade no amor, o qual desprende se tornando presença nas dificuldades que se apresentarem.

Os bons hábitos com costumes verdadeiros são os registros de crianças que tiveram a sua infância trilhada com amor, na acolhida do interesse sugestivo pela flexibilidade do conhecimento prático, no desenvolvimento de um caráter que faz bem para a saúde da sociedade em geral. É bem compensador ver pessoas interessadas na busca de conhecimento, num envolvimento sadio que preencha o tempo com coisas úteis. Um exemplo é o dos avós que muitas vezes rodeados de netos, bisnetos ou até tataranetos, experimentam viver uma presença importante e saudável que transfere conhecimento aos pequenos com a sua experiência da vida.

Também é bastante compensador perceber pessoas com idade avançada procurando conhecimento na utilidade através da leitura de jornais, livros, revistas ou que gostam de acompanhar alguns programas formativos de rádio ou televisão. Isso abre os horizontes de uma mente ocupada com as razões da existência, ajudando a ter mais alternativas para manter-se atento aos fatos e acontecimentos, na criação do despertar crítico para a realidade.

A humanidade sempre terá o que aprender descobrir e reaprender. Não dá para imaginar como seria a sociedade se as crianças não tivessem o apetite para aprender coisas novas, adolescentes sem sonhos, jovens sem perspectivas, adultos fechados em seu trabalho ou idosos isolados sem passar a experiência de vida para as outras gerações. Tudo seria monótono com um amontoado de ideias sem ações.

As pessoas se humanizam quando respeitam e são respeitadas em cada fase da vida e o legal de tudo isso é que não há saber mais ou saber menos, mas sim saberes diferentes. Não se pode fazer distinções ou criar ideias de exclusão de pessoas quando se tem mais experiência em algum setor da sociedade. Ao contrário, precisamos criar fontes de equilíbrio que demostrem bem estar motivacional na transparência objetiva de cada pessoa.

Deixe um comentário