Número de homicídios tem queda de 21,9% e crimes de estelionato aumentam 74% em junho no RS

Foto: Rodrigo Ziebell/SSP

O número de homicídios registrados no Rio Grande do Sul no mês de junho deste ano, apresentou uma queda de 21,9% em comparação com o mesmo mês do ano passado. Já os casos de estelionato tiveram aumento de 74%. Os dados mensais da Secretaria de Segurança Pública (SSP) foram divulgados nesta quinta-feira (9).

Com relação ao número de homicídios, enquanto foram registrados 901, nos primeiros seis meses deste ano, no mesmo período de 2019, a secretaria contabilizou 987 assassinatos no estado. O índice também teve queda no balanço mensal. Em abril e maio, por exemplo, o número de homicídios foi de 155 e 139 respectivamente, enquanto em junho, 114 foram assassinadas.

Continua após a publicidade...

Entre os 125 óbitos registrados no mês de junho no RS, 16 foram de presos que tiveram liberdade concedida pelo judiciário, o que representa 12,8% do total. As solturas aconteceram durante a vigência da recomendação do Conselho Nacional de Justiça, sobre a adoção de medidas preventivas à propagação do coronavírus.

Desde março, 56 detentos, que foram soltos, acabaram assassinados. No ano passado, 38 presos colocados em liberdade foram mortos no mesmo período. Aumento de 47,4% no índice.

Já nos casos de estelionatos, enquanto em 2019, de janeiro a junho, foram registrados 12.736 crimes, o mesmo período de 2020, apresentou 22.183 ocorrências, quase 10 mil a mais. Apenas no mês de junho deste ano, foram 5.499 estelionatos.

Para fazer um comparativo, em todo o ano de 2019, foram registrados 25.203 crimes de estelionato.

Comparativo de vítimas entre janeiro e junho de 2005 a 2020 — Foto: Reprodução / SSP
Comparativo de vítimas entre janeiro e junho de 2005 a 2020 — Foto: Reprodução / SSP

Cidades do RS sem registro de homicídio

De acordo com a SSP, a intensificação do trabalho integrado entre as polícias, permitiu zerar os casos de homicídio em três das cidades mais populosas do RS em junho.

Canoas, Pelotas e Gravataí encerraram o sexto mês do ano sem nenhum registro de assassinato. Novo Hamburgo, que também está entre os 10 municípios mais populosos, teve apenas um caso.

Segundo o governo, entre as 10 cidades com queda no número de homicídios, oito delas são prioridade no programa RS Seguro, que, com base em estudos sobre a criminalidade, propôs um plano de segurança para os municípios.

Latrocínios e roubo de veículos têm queda

O primeiro semestre de 2020 representou queda de 12,8% nos roubos seguidos de morte no RS. No mesmo período do ano passado, foram 39 latrocínios registrados, enquanto que em 2020, foram 34. Este é o menor acumulado desde 2009, quando houve 29 latrocínios nos seis primeiros meses.

Os índices de roubo de veículos também apresentaram queda. A redução foi de 19,8% em relação aos primeiros seis meses de 2019, passando de 6.045 ocorrências para 4.850, 1,1 mil casos a menos.

Segundo o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Rodrigo Mohr Picon, a polícia realizou prisões de grupos criminosos especializados no roubo de veículos, recentemente.

“Certamente a redução da circulação pela pandemia também teve impacto, mas é importante observarmos que em junho, já com o distanciamento controlado funcionando a pleno, o total de casos foi ainda menor do que em abril e maio, quando as restrições eram maiores”, diz.

Ataques a bancos e a transporte coletivo caem pela metade

No acumulado do primeiro semestre de 2020, comparado ao mesmo período do ano passado, o número de ataques a bancos e a transporte coletivo caiu pela metade, e para o menor total da série histórica, iniciada em 2012, quando as ocorrências passaram a ser contabilizadas em separado.

Nos ataques a banco, somados furtos e roubos, os casos reduziram de 59 para 29 (-50,8%). No transporte coletivo, contando os registros envolvendo passageiros, motoristas e cobradores de ônibus e lotações, o número baixou de 1.298 para 656 (-49,5%).

É a primeira vez, desde 2012, que o semestre inicial de um ano encerra com menos de mil ocorrências no Rio Grande do Sul.

Fonte: G1 – RS

Post Author: Portela Online