Jovem se entrega à polícia e confessa que atirou em dona de joalheria durante assalto em Ametista do Sul

Foto: Divulgação

Um jovem de 21 anos confessou nesta sexta-feira (3) o envolvimento no assalto que resultou na morte da empresária Inês Ribeiro de Gregori, 51 anos, em Ametista do Sul, no norte do Estado. Ele foi preso após se entregar à polícia em Frederico Westphalen.

De acordo com o delegado Ercílio Carletti, o homem apareceu acompanhado de um advogado e comentou que temia ser preso pela Brigada Militar no cerco montado ao redor de um matagal – que resultou na prisão dos outros dois suspeitos.

O jovem alegou que o tiro foi acidental.

— Ele somente alegou que foi autor do disparo e não houve intenção. Mas não nos parece que foi sem querer. Parece que foi com intenção de matar mesmo, pelo que analisamos — detalhou o delegado.

Carletti disse ainda que o jovem, que não teve nome divulgado, já havia sido preso por outro assalto ocorrido na cidade de Planalto, vizinha de Ametista do Sul. Naquele caso, a vítima também foi ferida pelo criminoso.

A Polícia Civil irá indiciar o trio pelo crime de latrocínio — roubo com morte. Antes de terminar a investigação, os agentes irão verificar ainda se houve a participação de outras pessoas no assalto.

As imagens de câmeras de segurança obtidas pela polícia detalharam como o crime ocorreu. Os bandidos levaram as pessoas até o fundo da loja e ordenaram para que a vítima abrisse o cofre. Enquanto a empresária retirava as joias do compartimento, foi atingida por um tiro na nuca.

— Talvez algum movimento que tenha chamado atenção do criminoso, mas não conseguimos perceber isso pelo vídeo — detalhou o policial.

“Era uma pessoa que todo mundo queria bem”

O prefeito de Ametista do Sul, Gilmar da Silva, lembou que a joalheria, que fica em um ponto central da cidade, já havia sido assaltada outras vezes. Comerciantes e familiares promoveram um protesto, ainda na quinta-feira, pedindo justiça e mais segurança.

— Pessoal fez um protesto no sentido da revolta pelo fato acontecido e para se consolidar a demanda de anos dos municípios do Interior, que é maior efetivo policial. Pedimos mais segurança levando em consideração que Ametista se destaca no turismo — comentou da Silva.

O prefeito disse ainda que Inês era uma pessoa querida na comunidade:

— É uma pessoa que todo mundo queria bem, mãe de uma criança pequena. Não tem como explicar alguém ceifar uma vida assim.

O delegado confirmou que já atendeu a outro crime na mesma joalheria, mas que os autores eram outros e que todos foram presos.

A Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Ametista do Sul (ACIAS) publicou uma nota de repúdio ao crime. “Expressamos nossa angústia e repúdio quanto a situação vivenciada”, diz o texto.

Confira a íntegra da nota

“A pequena e pacata Ametista do Sul vive um dia triste e de grande revolta. A empresária, mãe, esposa, filha, amiga, Inês Ribeiro de Gregori, sai para trabalhar e tem sua vida ceifada pela criminalidade. Sem qualquer reação, simplesmente, por maldade, covardia.

Enquanto entidade representativa do empresariado, expressamos nossa angústia e repúdio quanto a situação vivenciada. Nos questionamos, sobre o quão seguros estamos diante do cenário atual que vivemos? Contribuímos com a sociedade gerando empregos, aquecendo a economia, pagamos impostos, giramos o setor financeiro, e ao que temos direito, a nossa segurança, não nós é garantida!

Revolta e tristeza, assolam nossos corações aflitos. Vivemos tempos de pura maldade, ganância, falta de amor ao próximo.

Clamamos por justiça, para dar o mínimo de consolo a essa família, em ver os culpados identificados e penalizados, pagando por seus atos. Que as entidades competentes possam dar atenção especial a este caso, que não passe impune e despercebido. Pedimos por mais segurança pública, para que tenhamos tranquilidade em deixar nossas casas e trabalhar, é o mínimo que todos nós, cidadãos brasileiros, merecemos e reivindicamos das autoridades.

Que a Inês, tão querida por todos, possa fazer sua passagem com serenidade, ser acolhida nos céus.

Hoje, a frase que representa a todos nós, é de Martin Luther King: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”.

Descanse em paz Inês Ribeiro de Gregori”

 

 

Fonte: GauchaZH

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: