Feminicídio ocorrido em 2017 é julgado no Fórum de Tenente Portela

Julgamento ocorre nesta terça-feira em Tenente Portela / Foto: Divulgação

Teve início na manhã desta terça-feira, 11 de fevereiro, no Fórum de Tenente Portela, o julgamento do réu que foi denunciado pelo Ministério Público pela morte de sua companheira, Clarice de Azevedo, de 29 anos. O réu, Adelar Schmidt, conhecido na comunidade portelense pelo apelido de “Burro Branco”, chegou a ser preso na época do crime, mas foi solto no ano de 2018 e aguardava o julgamento em liberdade. Havia em favor da vítima uma medida de proteção judicial e o réu não poderia ter se aproximado da mulher.

Ao todo o corpo do Juri presidido pelo juiz Luís Gustavo Negri Garcia é formado por 7 jurados, a maioria  deles mulheres. A defesa do réu é realizada por dois advogados.

O juri segue sem prazo de término.

Arma do crime apreendido pela polícia / Foto: Divulgação Polícia Civil

O crime ocorreu na madrugada do dia 22 de janeiro de 2017 entre a meia noite e 4h na casa do casal localizada as margens da ERS-330 saída para Miraguaí, próximo a antiga Cotrijuí. Segundo a denúncia do Ministério Público, o réu foi até a residência e de posse de uma tábua de carne desferiu vários golpes contra a cabeça da vítima que foi socorrida pelo SAMU e encaminhada para o Hospital Santo Antônio. O antedimento de emergência foi solicitado pelo próprio homem.

Em razão das gravidades dos ferimentos, Clarice foi transferida para o Hospital de Caridade de Três Passos vindo a falecer duas semanas após o fato, no dia 4 de fevereiro de 2017.

Notícias pelo Whatsapp Clique aqui e entre no Grupo do Whatsapp do Portela Online e fique por dentro das notícias. Não tem mais vaga no grupo? Envie uma mensagem para (55) 99631-9327 e solicite um novo link gratuitamente.

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: