Presidente e funcionários são afastados de hospital de Ijuí em investigação sobre receptação de medicamentos roubados

Reprodução G1 – RS

O presidente e cinco funcionários que ocupavam cargos de chefia no Hospital de Caridade de Ijuí, no Noroeste do Rio Grande do Sul, foram afastados na manhã desta sexta-feira, 3 de janeiro, por determinação judicial.

Eles foram indiciados pela Polícia Civil como autores de crime de coação na investigação que apura a receptação de lotes de medicamentos para o câncer, que haviam sido roubados em Minas Gerais e foram encontrados na instituição em novembro de 2018.

Continua após a publicidade...
Continua o texto...

O hospital é referência em tratamento e pesquisa em câncer no Rio Grande do Sul.

Além do afastamento imediato das funções, os investigados estão proibidos de acessar o hospital e de manter contato com servidores, colaboradores e testemunhas.

Os lotes foram roubados no dia 17 de outubro, em um caminhão que carregava carga avaliada em mais de R$ 1 milhão. Os medicamentos foram encontrados no hospital em Ijuí após uma denúncia. Eles foram comprados de uma distribuidora não credenciada, por mais de R$ 600 mil, conforme a polícia.

Dois funcionários chegaram a ser presos em flagrante, pagaram fiança e estão em liberdade provisória.

O delegado responsável pelo caso também pediu a prisão preventiva dos seis investigados, mas a Justiça decidiu pelas medidas cautelares de afastamento, entendendo que seriam suficientes para cessar a coação.

“Os afastamentos foram pedidos pela Polícia Civil justamente para o prosseguimento regular do inquérito, para preservação da prova testemunhal frente às coações e ameaças que os funcionários do hospital estavam sofrendo para alterarem seus depoimentos para a polícia”, diz o delegado Tiago Baldin.

O presidente do HCI, Claudio Matte Martins, disse que não iria se manifestar enquanto não recebesse uma resposta de seu advogado quanto ao teor da investigação.

A direção do hospital disse que só irá se manifestar após orientações do departamento jurídico.

Entre no grupo de notícias do site Portela Online e fique por dentro – clique aqui.

Siga o Portela Online no Facebook – clique aqui – e no Instagram – @portelaonline – Clique aqui

 

Fonte: G1 – RS

Post Author: Portela Online