Anúncios

22ª Região Policial alerta sobre dois tipos de golpes aplicados por telefone


A 22ª Região Policial emitiu um alerta a população regional sobre dois tipos de golpes que estão sendo aplicados por telefone. Por e-mail o Delegado de Polícia, William Garcez, descreve de que forma acontecem os referidos golpes com o objetivo de evitar que você seja vítima. Leia abaixo:

NÃO CAIA NO GOLPE DA “ATUALIZAÇÃO CADASTRAL”

ATUALIZAÇÃO CADASTRAL: 

A vítima recebe uma ligação. Do outro lado da linha alguém diz que precisa atualizar os seus dados cadastrais para renovar e divulgar o número da linha em uma “falsa” lista telefônica, sendo eu que, para tanto, enviarão um “formulário” para preenchimento. 

O suposto formulário se trata, na verdade, de um contrato com valores definidos, em letras mínimas, o que dificulta a atenção de quem assina. Não forneça nenhum dado, não efetue qualquer pagamento e não assine nenhum documento.

NÃO CAIA NO GOLPE DA “SUBTRAÇÃO DE WHATSAPP”

SUBTRAÇÃO DE WHATSAPP: 

Os golpistas monitoram os sites de venda como OLX, ZAP e Mercado Livre e entram em contato com um vendedor que possa vir a ser um alvo em potencial (vítima). Através dos dados do anúncio, conseguem o número de celular da vítima e consequente o de seu whatsapp. Depois, enviam uma mensagem como se fosse uma comunicação do site de vendas (o criminoso vai conversar com a vítima como se fosse da plataforma de vendas, OLX, ZAP ou Mercado Livre). 

Os golpistas se aproveitam da ingenuidade e distração da vítima e a fazem fornecer dados pessoais por livre vontade (claro, ela está sendo enganada). Não utilizam nenhum método de invasão, malware ou coisas desse tipo. Os fraudadores enviam uma mensagem no WhatsApp para a vítima com teor semelhante a este: “verificamos um anúncio recém postado, e gostaríamos de atualizar para que continue disponível para visualização” ou, então, “devido ao grande número de reclamações referente ao seu número de contato, estamos verificando”. As mensagens terminam pedindo para a vítima informar o código que receberá via SMS para solucionar a questão.

O código enviado, na verdade, é o PIN de autenticação do WhatsApp. O golpista está tentando subtrair a conta para usar em outro aparelho. Ao fazer o login com o número de telefone (que ele já tem), o WhatsApp envia para o dono do chip um SMS com o número de autenticação que é legítimo. Ao ter acesso a esse número, o falsário consegue fazer login na conta da vítima usando o seu próprio celular e subtrai a conta.

Quando a vítima responde à mensagem, o criminoso ativa o WhatsApp da vítima em um novo celular e passa a enviar mensagens para os contatos mais recentes, que normalmente são amigos próximos ou familiares da vítima, pedindo um empréstimo para uma despesa urgente.

Fique atento!

 

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: