Anúncios

Mesmo sem localização de corpo, júri condena réu em Palmeira das Missões

Crime ocorreu em 2016 e, desde então, restos mortais da vítima não foram encontrados

Ilustrativa

Em júri popular no Fórum da Comarca de Palmeira das Missões, um homem acusado pelo Ministério Público de ser autor de um homicídio e de ocultar o cadáver foi condenado, no último dia 2 de julho, a quase 23 anos de prisão. Ele ainda respondeu por furto e estelionato em prejuízo dos herdeiros da vítima, fatos ocorridos em abril de 2016 no município.

A acusação ficou a cargo dos promotores de Justiça Guilherme Martins e Marcos Eduardo Rauber, tendo como assistente o advogado Zanone Manuel de Oliveira Junior. Eles conseguiram convencer os jurados de que Delsir Toebe, 34 anos, assassinou a tiros e escondeu o corpo de Adelino Fernandes da Silva, 63 anos, cujos restos mortais até hoje não foram encontrados. O idoso era tio da então companheira do autor.

Entenda

Com base em depoimentos de testemunhas e outras provas colhidas, o Ministério Público apurou que usando dissimulação, em 11 de abril de 2016, o réu pediu carona à vítima até seu local de trabalho e atacou-a de surpresa. O motivo – considerado torpe – teria sido porque o idoso se negava a renovar contrato de locação da residência onde o inquilino morava e queria que o imóvel fosse devolvido.

Depois de esconder o cadáver, Toebe ficou com o automóvel e tentou vendê-lo a terceiros. A Polícia Civil conseguiu recuperar algumas partes e o restante do carro foi encontrado incendiado na linha Espinilho. Ainda segundo a acusação, o réu fez com que a esposa da vítima lhe entregasse seu notebook mentindo que o marido fugira com outra mulher e lhe pedira pra buscar seus pertences.

A defesa do acusado ficou a cargo da advogada Cíntia Andressa dos Santos Pinto. A sessão foi presidida pelo juiz de Direito Gustavo Bruschi.

Fonte: Jornal Folha do Noroeste – Cristiane Luza

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: