Proprietário de estabelecimento é preso pelo MP por remarcar validade de produtos em Campo Novo

Foto: Divulgação MP

O proprietário de um mercado de Campo Novo foi preso durante a ação de uma força-tarefa do Programa Segurança Alimentar do Ministério Público nesta terça-feira, 23 de abril. Conforme o MP, a prisão do dono do Mercado Avenida ocorreu porque era realizada a remarcação da data de validade dos produtos, usando a sobreposição de etiquetas para apagar a data original de validade.

Também foram fiscalizados e autuados em Campo Novo o Super Cotricampo, que teve duas câmaras frias interditadas; o Mercado Redefort e o Mercado Bom.

Entre os principais problemas encontrados pelos agentes da Força-Tarefa nos demais locais estão: carnes sem identificação de origem, produtos fora do prazo de validade, com embalagens danificadas, fora da temperatura ideal, produtos sem certificado de origem, estragados, armazenados de forma incorreta e com presença de insetos, além de falta de higiene e de infraestrutura.

Conforme o MP, no total, três toneladas de produtos sem condições de consumo foram descartadas.

Participaram da operação o coordenador do Grupo de Atuação especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco – Segurança Alimentar), Alcindo Luz Bastos da Silva Filho, o coordenador do Núcleo de Resolução de Conflitos Consumeristas (Nucon), promotor de Justiça substituto de Campo Novo Marcelo Augusto Squarça, representantes da Vigilância Sanitária Municipal de Campo Novo, Secretarias de Estado da Agricultura e da Saúde e Decon.

Veja mais fotos divulgas pelo MP – clique aqui

Notícia relacionada

Mais uma prisão realizada pelo MP, desta vez em Supermercado de Redentora

 

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: