O sentido nas ações – Rabiscos do Silêncio

Olhando para a nossa realidade: as pessoas, a natureza e tudo o  que está presente de forma visível no universo, podemos constatar captando o comportamento de cada espécie como sendo ações que dão sentido a nossa vida.

E esse sentido pode ser de forma negativa ou positiva dependendo muito do momento em que estivermos inseridos com nossas: alegrias, preocupações, tristezas, incertezas, dores ou satisfações.

Todos nós já provamos destes momentos em nossa vida, pois somos humanos e diante da nossa fé estamos em um constante aprendizado. Ninguém nasce sabendo tudo e nem morre não sabendo nada. Quem nasce traz consigo uma vida para ser preenchida com experiências e convivências que confirmem essa abertura à visibilidade das ações de responsabilidade. Assim acontece para quem morre e deixa coisas boas através das ações positivas que soube viver. A morte destas pessoas não é vã.

Estamos neste mundo para preencher a nossa vida de amor, esperança e motivação, mas também para que as outras pessoas possam se reconstruir em sua existência com nossa convivência. Quem ama respeita a sua vida e a vida de seu semelhante. E toda pessoa que se abre a novas experiências, sabe compartilhar de grandes aprendizados e com sabedoria busca essa dimensão de acolhida do outro, sendo a manifestação que contemple o sentido e uma sensação renovadora no existir.

A pessoa que se fecha na busca por novas experiências perde o sentido do saber, pois pensa que sabe tudo sobre todas as coisas. Não sabe que o verdadeiro sentido da vida se traduz em saber buscar conhecimentos com práticas de acolhida, motivação e responsabilidade. Esse fechamento não contribui em nada para o crescimento efetivo da conscientização da coletividade dos problemas que cada pessoa enfrenta na sua individualidade.

São muitas oportunidades que a vida traça para que possamos descobrir-nos e trabalhar com ações que favoreçam a busca de novas experiências. Uma delas é quando encontramos pessoas debilitadas em seus sentimentos, por estar passando por momentos difíceis, o que pode acontecer com cada um de nós.

A pessoa se sente fragilizada e começa a experimentar um profundo vazio em sua existência, neste momento é preciso saber captar o seu sofrimento procurando aproximá-la dos nossos sentimentos e ajudá-la com a manifestação de marcar presença em sua vida. Mas precisa ser uma presença marcada com a leveza espiritual, isto é, entrar em sintonia com a dimensão do seu coração, sentindo o que se passa com essa pessoa e compenetrar com nosso amor.

E são muitos sentimentos que se jogam fora do nosso coração sem ter o seu desejo realizado. É preciso dar sentido aos sentimentos com uma profunda abertura a clareza do pensamento, procurando acolher os anseios das outras pessoas, tendo compreensão dos seus erros, oportunizando-as a refazerem seus sentimentos, pois todos os sentimentos que são jogados fora encontram o destino em outras consciências e conseguem junto com a acolhida transformar vidas.

Portanto, precisamos constantemente valorizar-nos para podermos crescer na nossa individualidade, tendo ações favoráveis de abertura a coletividade. Não anular, desfazer ou desprezar quem estiver necessitado de palavras motivacionais e que façam com que levante a cabeça e caminhe com uma dimensão renovada. Existem muitas pessoas vivendo nesta situação. Abandonadas em seus sentimentos sem ter a quem recorrer. Mas quando recebem o toque do amor renovam-se e conseguem vencer a inutilidade que estavam sofrendo, aquecendo a vida com novos pensamentos e ações, tornando-se vitoriosas com a vida refeita pelo sentido da energia nova.

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: