Clique aqui para acessar

Rabiscos do Silêncio – As luzes cerebrais

Deus requer a mais delicada atenção de nossos pensamentos com ações recíprocas  na busca permanente da fé e se a mente estiver conturbada para encontrar-se com a verdade, não consegue se organizar para que a transparência possa fixar-se de maneira mais abrangente, como fonte do equilíbrio entre corpo e alma.

Quando olhamos a dimensão da clareza da alma, com a luz do espírito sentimos dentro de nós um impulso maravilhoso fazendo com que sintamos paz, amor e tranquilidade, pois estaremos com o cérebro oxigenado pela transparência da fé. Mas quando alimentamos nossa consciência com um pensamento desagradável, com ações que produzem desiquilíbrio emocional nos outros, a estagnação da transparência acontece pelo lado oposto da nossa vida.

E a vida precisa ser valorizada com entusiasmo transparente, assim como uma mãe que espera um filho. Essa criança precisa ser alimentada com amor, paz e grandes vibrações positivas num cuidado permanente com seus sentimentos, pois esse estágio de nove meses de gestação, quando é buscado com aceitação, fará com que as luzes cerebrais do novo ser humano sejam inseridas neste, com a alegria da mãe, como algo que vem da vontade de Deus.

Saber repousar nossa consciência biológica naquilo que representa a vontade e Deus é procurar respeitar o silêncio interior da alma, na mais bela sintonia entre o meu eu e a presença da luz, no envolvimento sadio, iluminado e compenetrado, através da oração na escuta de Deus, a qual nos comunica coisas maravilhosas pelo instrumento da consciência para depois sair da interioridade e ir ao encontro de outras pessoas que estejam sobrecarregadas com as dores do cotidiano.

Devemos depositar nossa confiança em Deus como algo que nos impulsiona a ter coragem, tendo uma abertura para o que está além do universo. Aqui vivemos entre lutas e lágrimas. É preciso fazer desse universo lugar para podermos ter a clareza de pertencentes à luz da verdade como algo que transcende a própria mátria. Dando prioridade a tudo o que edifica nosso conhecimento prático.

Se nós passarmos cada momento transformando todo pensamento e ação em bem, tudo resplandecerá de maneira bem visível ao nosso sentimento e o nosso cérebro apreciará a luz de Deus, como necessidade para fortalecer nossa caminhada terrena no objetivo que nos conduzirá à plenitude da vida já aqui, neste mundo. No entanto é necessário aceitar cada momento como sendo presente de Deus que se manifesta na clareza da alma.

Sentir a leveza da alma sem sufocar as dores físicas, morais ou psicológicas é fazer bom uso do tempo para desenvolver a capacidade abrir-se à dimensão de tudo que virá a ser quando deixarmos de existir para este universo. Neste sentido, as certezas devem acompanhar nossa realidade, sem procurar desfazer-se ou afastar-se dessa experiência que pertence a todas as pessoas que procuram ser úteis no conhecimento de si próprias.

Portanto, quando nosso cérebro for capaz de produzir conhecimento na fonte da energia positiva, através da aproximação com Deus, curaremos o medo da morte, com a confirmação da existência da alma e mergulhamos no verdadeiro sentido da vida,  pois estamos sobre a proteção da luz divina. E sentiremos alegria, paz e amor que se transformam em caminhos seguros de felicidade e poderemos sentir a leveza da nossa consciência jorrando tranquilidade com a presença de um Deus compreensivo e misericordioso na prática da verdadeira fé.

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: