Clique aqui para acessar

Rabiscos do Silêncio – Histórias de Família

Li, reli e emprestei para os amigos o livro Histórias de Família que foi escrito pelos estudantes da Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental da Escola Sepé Tiaraju, de Tenente Portela, com a organização das professoras: Clecir Fátima Nardino Dickel, Cristiani Maria Engler Soares, Débora Vieira Bueno, Débora Cristina de Campos Sprendor, Ester Elisabete Kuhn Goldschmit, Lídia de Fátima Rockenbach de Lima e Marilise Maria Balest, cujo lançamento aconteceu na XXII FEPORLI – Feira Potelense do Livro, no dia 08 de agosto deste ano, no Centro Cultural.

É louvável esta iniciativa que resgata o valor e a consciência de se ter uma família. Também estimula a criança na importância dela integrar-se ao processo da formação do seu conhecimento prático revelando sua realidade. Cada pessoa tem sua visão de família e a criança não pode ficar distante dessa realidade, como um ser ausente, mas precisa de acolhida, integração e alegria junto ao lar no qual estiver inserida.

É na família que a criança aprende a se relacionar com seu próprio eu. E vai ganhando confiança no mundo que a rodeia, pois terá mais facilidade em comunicar-se com as pessoas mais próximas e aos poucos vai criando vínculos positivos de amizade, evitando ficar reprimida dentro do seu conhecimento, sem o verdadeiro crescimento emocional e, muitas vezes, com dificuldades por receber somente a negação da sua identidade.

A criança que recebe amor, carinho e compreensão na família encontrará grande facilidade em enfrentar as dificuldades que surgirem na sua vida. No entanto é necessário que haja um ambiente acolhedor estimulando o seu desenvolvimento intelectual, moral e psicológico, dentro de espírito de companheirismo e com diálogo de aproximação entre os membros familiares.

Mas a alegria precisa estar presente nas conquistas da criança. Isso faz com que ganhe confiança nos passos que ela vai acrescentando ao seu cotidiano e a família, nesse contexto, é a afirmação do desenvolvimento da sua personalidade. E a escola encontrará mais facilidade em ensinar, pois a parte de educar foi desenvolvida na família com o cumprimento do papel de ambas as partes.

É na família que a criança precisa encontrar um ambiente favorável que lhe proporcione viver uma vida leve e amigável, com a apreciação do bem estar familiar e social, permitindo que aprenda a buscar a Deus, gostando de alimentar a sua mente com coisas objetivas e claras, sem o vazio da solidão ou da rejeição. Assim, numa acolhida verdadeira, sem conturbações, com a atenção voltada para aquilo que faz com que ela cresça nos valores e afetos através até de um abraço, de uma brincadeira ou do diálogo espontâneo.

Infelizmente existem muitas forças contrárias à educação familiar, as quais penetram no lar e transformam o lugar do diálogo, da oração e da convivência. São especialmente os aparelhos de televisão, celular, computador, objetos que precisam ser usados com sabedoria e não com liberdade plena, pois se os usarmos sem limites, poderemos estar desfazendo a formação familiar no equilíbrio da liberdade. Usados de forma correta podem ter seu efeito positivo, mas quando perdemos a noção de tempo, se tornam prejudiciais, deixando marcas profundas na educação dos filhos.

Parabéns às professoras, estudantes e direção da Escola Sepé Tiaraju pela brilhante  ideia das histórias contadas pelos próprios alunos. Fiquei emocionado pelas revelações trazidas neste livro, pois com jeito simples, honesto e bem objetivo a obra relata o sentimento organizado por cada personagem, sendo autores das suas vidas. Um excelente trabalho que pude desfrutar fazendo uma linda viagem junto da imaginação, na direção da minha própria infância. Muito legal!!

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: