Clique aqui para acessar

PF deflagra mais uma etapa contra locaute no Rio Grande do Sul

Foto: Polícia Federal / Divulgação 

A segunda fase da operação Unlocked, que investiga a prática de locaute durante a recente greve dos caminhoneiros, foi realizada na manhã desta sexta-feira pela Polícia Federal no Rio Grande do Sul. Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos na localidade de Vila Cristina, no Vale do Rio Caí.

O objetivo da ação é apurar o envolvimento de outro empresário da região com os crimes de atentado contra a liberdade de trabalho e associação criminosa. O suspeito teria ameaçado os caminhoneiros para não realizarem o transporte de cargas. A Polícia Federal havia desencadeado a primeira etapa da operação Unlocked no final de maio em Caxias do Sul e Vale Real, sendo preso na ocasião um administrador de transportadora. Ele teria ameaçado os caminhoneiros, obrigando-os inclusive a abandonarem os veículos em postos de combustíveis em rodovias.

Após o prazo da prisão temporária, o investigado foi solto judicialmente e responde agora em liberdade. Houve a apreensão de documentos e de um revólver calibre.

Na época, o superintendente regional da Polícia Federal, delegado Alexandre Isbarrola já havia revelado que vários inquéritos foram abertos para apurar a prática de locaute, que é proibida por lei e caracteriza-se quando empresários de um setor contribuem, incentivam ou orientam a paralisação de seus empregados.

A investigação da Polícia Federal sobre a prática de locaute na greve dos caminhoneiros em todo o país havia sido determinada pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, em maio.

O que é locaute?

Locaute é caracterizado quando empresários de um setor contribuem, incentivam ou orientam a paralisação de seus empregados. Ou seja, é uma greve liderada pelos patrões, com o intento de obtenção de benefícios para o setor, o que é proibido por lei.

Fonte: Correio do Povo

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: