Clique aqui para acessar

Suspeitos de desaparecimento de contadora no Norte do RS se recusam a passar pelo detector de mentiras

Foto: Arquivo Pessoal

Polícia Civil confirmou que um dos suspeitos presos após o desaparecimento da contadora Sandra Mara Trentin, de 48 anos, na Região Norte do Rio Grande do Sul, voltou atrás em sua versão. Em novo depoimento, o jovem de 22 anos inocentou o marido dela, o vereador de Boa Vista das Missões Paulo Ivan Landfeldt, de 47 anos. Os dois estão presos.

Sandra, de 48 anos, foi vista pela última vez em Palmeira das Missões, em 30 de janeiro. A família diz não ter notícias desde então.

Porém, ambos ficaram em silêncio ao serem questionados sobre alguns pontos contraditórios entre seus depoimentos. A Polícia Civil ainda tentou confrontar as contradições do inquérito com o uso de detector de mentiras, mas os dois se recusaram a passar pelo equipamento.

Landfeldt, que é presidente da Câmara Municipal, e o jovem cujo nome é preservado para evitar vazamento de informações, foram presos no último dia 23 e encaminhados ao Presídio Estadual de Palmeira das Missões.

Após ser detido, o jovem declarou que teria cometido o sequestro e matado Sandra a pedido do marido dela. O parlamentar declarou que estava sendo extorquido por pessoas que pediam resgate em troca da libertação da mulher.

A Polícia Civil não divulga informações para não atrapalhar as investigações.

Segundo o advogado João Batista Taborda, Landfeldt teve o pedido de habeas corpus negado na quinta-feira (8). Ele permanecerá preso ao longo do inquérito.

O advogado disse ao G1 que irá aguardar o julgamento do mérito para definir os próximos passos da defesa. “Ele não tem participação nenhuma nisso, e também quer respostas para o caso. Ele está indignado com essa situação”, afirmou.

“A defesa do Paulo não quer esconder nada. Ele mesmo delatou que estava sendo extorquido, e isso está claro nas mensagens”, completou o advogado.

O desaparecimento de Sandra

Imagens de câmeras de segurança mostram a caminhonete da mulher, uma Ranger preta, em Palmeira das Missões, no dia 30 de janeiro. Por causa da rotina de trabalho, Sandra costumava ir até três vezes por semana à cidade, situada a 30 km de Boa Vista das Missões, onde morava com a família.

Na data, ela esteve na junta comercial, no Centro, onde permaneceu por 20 minutos. Depois, a família encontrou o carro dela estacionado em uma rua. Dentro do veículo, a polícia encontrou o chip do celular e documentos de Sandra.

Sandra é casada e tem quatro filhos. A Polícia Civil não descarta nenhuma hipótese.

Na quinta (8), mais de 250 pessoas fizeram uma caminhada e cobraram respostas para o caso. O ato ocorreu no Dia Internacional da Mulher.


Fonte: G1-RS

Clique aqui

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: