Uma batalha pela esperança de uma portelense – Vídeo

Para fazer qualquer coisa Lucila precisa de ajuda / Reprodução

Há momentos da vida em que o desespero motiva atitudes corajosas. Foi assim que o jovem Marcelo, bastante emocionado, bateu à nossa porta pedindo ajuda para sua mãe. “Não suporto mais ver minha mãe nesse estado… Sem conseguir tomar um pouco d’água sozinha, sem nem poder pegar o neto no colo…”.

Atendendo a esse pedido emocionado do filho que assiste com tristeza as grandes dificuldades que a mãe enfrenta há oito anos, o site PortelaOnline foi conhecer de perto essa história.

Lucila Dickel foi diagnosticada com a  doença de Parkinson precocemente, aos 48 anos de idade.

É comum que, com o envelhecimento, todos os indivíduos saudáveis apresentam morte progressiva das células nervosas que produzem dopamina. Mas algumas pessoas perdem essas células num ritmo muito acelerado e, assim, acabam por manifestar precocemente os sintomas da doença de Parkinson como os tremores de repouso e o desequilíbrio.

Lucila, hoje com 56 anos de idade enfrenta inúmeros obstáculos no seu dia a dia. A moradora do bairro Operário, em Tenente Portela, depende 24 horas de ajuda para realizar as tarefas mais simples como alimentar-se, por exemplo, e muitas vezes fica em cadeira de rodas, pois os membros não têm coordenação para permitir-lhe andar. Poder pegar o neto no colo ou tomar conta dele como toda avó faz é um sonho até agora impossível para ela.

Lucila tem Doença de Parkison desde os 48 anos de idade / Foto: Reprodução Portela Online

Nas muitas idas e vindas ao médico durante estes oito anos e do uso contínuo de medicamentos, descobriram que há uma chance de um tratamento mais eficaz, através de cirurgia, a qual consiste na colocação de dois pequenos eletrodos na região cerebral afetada, de forma que a conexão de um determinado grupo de neurônios possa ser reestabelecida e os sintomas aliviados. Em geral, esse procedimento é indicado quando, apesar do uso de medicações em doses adequadas, o paciente ainda mantém muitos sintomas, com comprometimento da sua qualidade de vida, o que é o caso de Lucila, segundo opinião médica. De acordo com neurocirurgiões, o tratamento é indicado para 10% a 15% dos parkinsonianos. A avaliação é feita a partir de exames e questionários específicos. Entre as principais considerações estão idade, ausência de demência, mínimo de cinco anos com o diagnóstico da doença, nível de incômodos, entre outros itens.

O alto custo do procedimento (cerca de R$ 180 mil) é um enorme obstáculo para a realização desse sonho de poder levar uma vida normal novamente. Através do SUS a possibilidade é remota.

Foi por isso que o filho mais velho desta portelense, o Marcelo, nos procurou. Sua intenção é conseguir qualquer tipo de ajuda para poder dar à sua mãe a chance de ter de volta a dignidade de uma vida normal. Para isso está disponível a Vaquinha Online.

Ajude doando qualquer valor através da Vakinha Online – Acesse aqui

Também pode ser doado valores através da conta bancária da Caixa Econômica Federal:

Titular da Conta: Lucila Leites Dickel
CPF: 903.840.910-91
Conta poupança: 5610-5
Agência: 4811
Op: 013

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta