Clique aqui para acessar

Crise no Leite – Decreto Coletivo de Situação de Emergência Econômica na Região Celeiro

Foto: Divulgação

Uma Audiência Pública realizada no último dia 2 de março, na cidade de Tiradentes do Sul, debateu a crise do leite na Região Celeiro. O evento, ocorrido na Câmara de Vereadores de Tiradentes do Sul, reuniu agricultores familiar, lideranças políticas e da sociedade civil e serviu para o Prefeito de Chiapetta e Presidente da Amuceleiro, Eder Luis Both, anunciar o decreto coletivo de emergência econômica dos municípios na região Celeiro.

De acordo com o prefeito Eder, durante audiência foi apresentado estudo solicitado à Emater sobre os impactos causados pela crise na região. Segundo relatório, no último ano, cerca de R$125 milhões deixaram de girar na economia regional. Além disso, a crise tem contribuído para que as pequenas famílias abandonem a produção por conta da inviabilidade da atividade leiteira.

Dos 21 municípios que integram a região Celeiro, 20 já haviam decretado situação de emergência econômica por causa da crise do leite. Para os prefeitos integrantes da Amuceleiro a assinatura do decreto nos municípios tem como objetivo mostrar o apoio para com os produtores e chamar a atenção dos governantes para situações como o desemprego e o êxodo rural acelerado na região, uma vez que esta tem sua base econômica na agricultura, principalmente da atividade leiteira e se esse setor vai mal, os demais, por consequências acabam sendo atingidos também.

Da audiência resultou uma pauta de ações e reivindicações que estará sendo encaminhada aos órgãos responsáveis, buscando viabilidade e articulação para que sejam todas atendidas pelo governo estadual e federal e também pelas indústrias do setor leiteiro.

Abaixo seguem as ações/reinvindicações elencadas na audiência:

  • Decreto de emergência econômica dos municípios da Amuceleiro;
  • Não importação de leite (extinção do Decreto Estadual nº 53.818 sobre alíquotas de leite importado);
  • Política diferenciada de preços (mínimo justo ao produtor);
  • Compras Institucionais (aquisição pela CONAB de estoques regulares para beneficiar programas sociais, PAA, PNAE);
  • Política de subsídios quando necessário;
  • Combate rigoroso aos sistemas de calotes existentes por parte das empresas do ramo;
  • Renegociação das dívidas dos produtores;
  • Abertura de crédito emergencial;
  • Atualização da tabela do programa de garantia de preços justos para agricultura familiar;
  • Campanhas de mídias nacional e estadual de incentivo ao consumo do leite;

Notícias relacionadas

Prejuízos de R$ 9 milhões no setor leiteiro – Decretado Situação de Emergência Econômica em Tenente Portela

Prefeito em exercício fala sobre a crise na bacia leiteira em Tenente Portela

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: