Três Passos será beneficiado com Central Exclusiva para Recebimento de Resíduos de Fossa

Foto: Divulgação

As tratativas entre o prefeito Municipal de Três Passos José Carlos Amaral e a Superintendência da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), iniciadas ainda em 2016 e intensificadas no primeiro semestre de 2017, resultaram na contemplação do Município de Três Passos com uma Central Exclusiva para Recebimento de Resíduos de Fossa.

No encaminhamento de ofício à Corsan, em julho de 2017, a Administração Municipal solicitou um estudo para que o município fosse contemplado com projetos de investimentos na área de esgotamento sanitário.

Segundo o prefeito Municipal o capitaneamento deste projeto surgiu da necessidade de o município ter um sistema de tratamento de esgoto, o que já vem sendo apontado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Ministério Público (MP) e consta no Plano Municipal de Saneamento como meta. “A Central vai contribuir reduzindo os impactos ambientais e permitindo que esse serviço seja feito com regularidade e segurança”, salientou José Carlos.

Neste contexto, a Administração Municipal de Três Passos vai entrar com a área física mínima de 4 hectares para construção da Central, que terá investimento estimado em torno de R$5 milhões custeado pela Corsan.

A Central será regionalizada beneficiando dessa forma cerca de 19 municípios da região com um raio médio de 31 quilômetros. “O objetivo da Central é proporcionar aos municípios e empresas o descarte ambientalmente adequado aos efluentes de limpeza de fossa”, enfatizou o secretário Municipal de Meio Ambiente e Indústria e Comércio, Diego Maciel.

A construção da Central será um marco histórico para o Município e região, e foi confirmada durante assembleia da Associação dos Municípios da Região Celeiro (Amuceleiro), realizada no dia 16 de fevereiro, em Três Passos, pelo superintendente regional da Corsan, João Batista Corim da Rosa.

No momento, os técnicos do Município e Corsan estão definindo uma área apta a receber a Central, levando em consideração as características ambientais do local, tipos de solos e infraestrutura.

O prefeito Municipal José Carlos finaliza destacando que o investimento em saneamento, significa investir em saúde pública. “A construção da Central é ação que vai refletir no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município”, disse.

 

Fonte: Ascom – Elenara de Oliveira

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta