Clique aqui para acessar

Salto do Yucumã voltará a ficar visível

Condições de visibilidade do Salto do Yucumã serão anunciadas no site da Secretaria do Ambiente | Foto: Dante Andres Meller / Divulgação

O Rio Grande do Sul deverá contar, efetivamente, com mais um ponto turístico. Conhecido como a maior queda d’água horizontal do mundo, o Salto do Yucumã deverá se tornar visível novamente aos turistas a partir do controle do volume da água escoada do rio Uruguai pela Usina Hidrelétrica Foz do Chapecó. Sem o controle atual, o Salto fica “alagado”, como exemplificou a secretária estadual do Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema), Ana Pellini, na apresentação, na manhã desta terça-feira, em evento no Palácio Piratini. Assim, a beleza natural, que possui 1,8 quilômetro de extensão, fica invisível aos turistas que vão ao Parque Estadual do Turvo, no município de Derrubadas, na região do Celeiro, no Estado.

Com o ajuste que foi possível a partir da publicação da resolução 4 da Agência Nacional de Águas (ANA), no período de pouca chuva, a descarga da hidrelétrica deve ser igual ou inferior a 1 mil m3 por segundo entre o meio dia de sexta-feira e meio-dia de domingo. Em outras palavras, quem for visitar o local no sábado e domingo terá condições efetivas de ver a queda d’água.

“Abre-se um grande potencial turístico. Em outras palavras, estamos resolvendo um problema que era considerado ‘antigo e insolúvel’”, afirmou Pellini.

As condições de visibilidade do Salto do Yucumã, que depende da vazão da hidrelétrica, mas também da situação climática, serão informadas no site da secretaria.

“Agora nossa responsabilidade é a de melhorar as condições de acesso e ampliar a presença turística”, disse. Diretamente, 32 municípios da região do Celeiro poderão ser beneficiadas com a atração turística.

Ao entregar a resolução 4 ao governador José Ivo Sartori, o diretor da ANA, Ney Maranhão, ressaltou que esse acordo é uma demonstração de que é possível haver uma articulação em relação, que permita a exploração econômica e a preservação. “Com uma gestão integrada, os usos das águas podem ser múltiplos, desde que com responsabilidade”, disse. A resolução funcionará em formato de teste por 180 dias.

E, nesta perspectiva de ampliar a exploração turística do local, que a parceria com a província de Missiones, na Argentina, se faz tão importante. Isso porque do lado do país vizinho já existe uma rede de serviços turísticos e atrações, que os visitantes podem usufruir, como passeios de barco, entre outras coisas.

Nesta linha, na solenidade foram assinados o acordo de cooperação entre o Estado, por meio do governador José Ivo Sartori, e a província de Missiones, pelo governador Hugo Passalácqua, com o objetivo de definir diretrizes para uma rede de intercâmbio de informações para monitorar o regime e cheias do rio Uruguai. Foi ainda assinado o memorando de entendimento, para intensificar as relações entre as duas regiões e a união de esforços técnicos em prol do desenvolvimento ambiental sustentável.

 

Fonte: Correio do Povo

Fechar
%d blogueiros gostam disto: