Rabiscos do Silêncio: O Charme da vida

 

A vida tem a formosura na sua forma de ser e manifestar-se a nós como seres independentes e de uma beleza muito forte. Ela faz mergulhar nosso pensamento na aventura da transcendência de nossa fé com o respeito que precisamos formular em nossa consciência, por tudo que ela representa para cada um de nós.

Por isso que a nossa existência tem um valor muito significativo, mas é preciso alimentá-la com amor. Nesse sentido a fé deve ser acompanhada desse amor, pois a fé com tal sentimento nos faz íntegros em tudo que promove vida.

E a vida merece ser promovida com a fonte da felicidade, afinal, nós estamos neste mundo para sermos felizes, cada qual do seu jeito, e não para buscarmos no indiferentismo ou no individualismo as interpretações da solidez de nossas satisfações pessoais.

A vida, quando é colocada com intencionalidade e dinamismo positivo, torna tudo mais aprazível aos nossos olhos. Porém é preciso deixar-se envolver com o que promove essa motivação e abertura, coisas simples, isto é, tudo o que nos faz sentir a presença do fortalecimento da nossa fé, na natureza, nas pessoas e em Deus. Esse fortalecimento devolve a nossa serenidade, paciência e acalma o agito do nosso cotidiano.

Mas é preciso perceber através do nosso olhar luminoso e sadio os efeitos de tudo o que nos envolve e nos faz sentir o desfile charmoso da vida sobre nós: são crianças que nos envolvem com uma presença marcante e contagiante, derramando alegria, motivação e simplicidade; são idosos que nos fortalecem pela experiência de vida transmitindo paz e verdade em espírito; é a natureza que faz sentir uma beleza muito significativa através do canto dos pássaros que entoam suas melodias suaves ou pela profundidade das flores, árvores com os seus frutos que fazem mergulhar nossa atenção nessa singular motivação externa; ou ainda através da água que se movimenta nos mares, rios e córregos e sacia nossa sede e tantas outras necessidades.

A vida humana em sua totalidade é a mais completa entre todas as outras coisas presentes na natureza. E precisa ser agraciada com o charme do amor, pois ele faz com que mergulhemos e desfilemos pela beleza externa do nosso ser, formulando o respeito e o cuidado que devemos ter com as outras criaturas que fazem parte deste universo. Não podemos mais desrespeitar as árvores com o desmatamento, as águas, solo e ar com a poluição, favorecendo a morte da fauna e da flora, deixando que se perca o charme de toda a natureza com suas espécies incríveis.

Precisamos fortalecer os cuidados com tudo o que promove vida, não diminuir as pessoas com nossas atitudes limitadas, pois isso cura nosso olhar das tendências desprezíveis com que o outro se manifesta a nós. Também ajuda-nos a contemplar a riqueza existente nos corações de quem está do nosso lado, necessitando ser justificado com o charme da alma. Portanto, quem compreende o valor das outras pessoas e busca a valorização dos seus sentidos é capaz de consolar os tristes, ajudar os desorientados, e motivar os deprimidos.

E todas as pessoas que sabem perdoar as fraquezas do seu semelhante e não anotam em sua consciência a culpa por sua pequenez, recebem o verdadeiro charme da vida, tornando seu olhar sadio, equilibrado e seguro de si. Não deixam a sua vida consumir-se por coisas insignificantes e que destroem a beleza interna das pessoas.

Assim, quem compreende a leveza da alma e alimenta a vida com a suavidade do charme do amor e da fé, não torna a sua consciência pesada para as coisas passageiras deste mundo, mas sabe fazer bom uso delas e cria motivos para permanecer com a chama da alma acessa, espalhando luz, alegria, paz e verdade nos caminhos das pessoas. Respeita a todos e a tudo com maturidade e valoriza os momentos pela infusão de novas experiências que se abrem em cada novo amanhecer.

SEM COMENTÁRIO

Deixe uma resposta