Clique aqui para acessar

Rabiscos do Silêncio – Vias Interrompidas

 

Conhecer-se a si mesmo é o ponto mais alto da sabedoria humana, mas também é um exercício dos mais difíceis. Pois é no interior das pessoas que se encontra o grande tesouro dessa sabedoria, ao qual chamamos de coração. Ele que faz o nosso corpo e seus membros possuírem vida no seu trabalho incansável.

A pressa, a velocidade e o barulho marcam nossa civilização. Em função disso dispensamos o que nos parece menos importante. Dominamos a técnica e sabemos tudo o que acontece no mundo, com as outras pessoas ou seguimos com emoção, magnetizados pelos vídeos das novelas com seus dramas pessoais, com exemplos que causam grandes estragos na sociedade e nas famílias.

As tarefas e tudo mais que fazemos são importantes ações, pois  nos acompanham evitando ficarmos parados no tempo, vendo a vida passar sem integrar-nos com a realidade. Mas, não podemos esquecer-nos de dar o direito ao nosso interior para a descoberta de grandes tesouros. São esses tesouros que fortalecem os nossos corações na busca incessante por Deus. Porém é preciso saber silenciar o nosso mundo exterior e deixar-se envolver por essa paz que vem de dentro do nosso ser.

E assim poderemos sentir a presença dessa força sobrenatural em nossa vida como algo junto de nós. Assim estaremos nos abrindo à percepção da luz, da alegria e da verdade, sem atrapalhar, excluir ou enganar o nosso semelhante ,que também precisa ser respeitado e integrado ao nosso interior. Mas somente tem condições de fazer esse exercício aquele que tiver o coração ligado ao amor, ao perdão e à inclusão.

Dessa forma nós poderemos caminhar pelas ruas do nosso destino sem interromper a trajetória da nossa existência com valores contrários a vontade de Deus. Sabendo preencher as vias das ruas da vida das outras pessoas, sem colocar entulhos, sujeiras e pedras diante do seu caminhar, pois estas podem feri-las com nosso orgulho e pela falta de partilha, ao deixar o caminho e seu caminhar livre nas suas buscas merecidas

Precisamos sentir dentro de nós as coisas que fazemos, isto é, sentir com o coração iluminado pelo amor. E Deus é amor. Ele que dá sentido a nossa existência, ao tempo e a eternidade. Somente através da sua força e manifestação que tudo se transforma em nossa vida fazendo todas as coisas num clima de disposição e aproveitamento integral do tempo que temos, procurando os verdadeiros tesouros do nosso coração.

Deus é silêncio, Deus é musica, Deus é paz. Ele não interrompe as vias da rua nossa vida com coisas enganosas, mas deixa o nosso caminho livre para que possamos fazer as nossas escolhas com a responsabilidade de cuidar e zelar pelos dons que Ele, na sua bondade infinita, destinou a cada um de nós. Saber ouvir o silêncio do nosso coração é valorizar esse grande tesouro que todas as pessoas possuem.

Quem age iluminado pelo silêncio interior, abre com facilidade a porta do seu coração para o amor e sabe acolher a todos que sentem inseguros pela rejeição do mundo, como os que tem as vias das suas vidas interrompidas pelas ruas das consciências mal conservadas, abandonadas ou cheias de entulhos, precisando de ajuda para que voltem a caminhar com segurança, alegria e otimismo.

As ruas da fé, esperança e caridade devem estar sempre livres para que todas as pessoas possam caminhar iluminadas pelas luzes da verdade. E quando alguém estiver cansado e sobrecarregado, passando pelas ruas da nossa consciência, saibamos usar a chave da porta do nosso coração para abrir, forma  que elas possam encontrar conforto e motivação. Não devemos usar essa chave para fechar o nosso coração às necessidades do nosso próximo, pois os tesouros que possuímos dentro de nós precisam ser compartilhados com a bondade infinita de Deus, na inclusão de todas as pessoas.

 

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: