40% dos acidentes fatais com motos no RS acontecem na BR-116

 

As motos correspondem a 17,5% da frota do estado – Foto: Divulgação Detran RS

A BR-116 em Canoas e Camaquã, a Avenida Presidente Getúlio Vargas em Alvorada, a RS-118 em Sapucaia do Sul, a RS-040 em Viamão e a RS-239 em Sapiranga são os locais no Rio Grande do Sul em que ocorrem mais de 40% dos acidentes fatais envolvem motociclistas. O Detran mapeou os trechos críticos, analisando dados de 2010 a 2016. O estudo foi apresentado na segunda reunião do Grupo de Trabalho sobre Motociclistas, nessa segunda-feira (22), em Porto Alegre.

Foram 4.168 acidentes fatais envolvendo motociclistas de 2010 a 2016, o que representa 34% do total de 12.279 acidentes fatais no período. As motos correspondem a 17,5% da frota do estado. Os dez municípios com maior número de acidentes com motociclistas coincidem com as maiores frotas e concentram 33% do total do Estado. Porto Alegre, Pelotas, Caxias, Rio Grande, Canoas, Santa Maria, Novo Hamburgo, Gravataí, Viamão e São Leopoldo registraram 1.369 acidentes com motos.

As colisões representaram 63,6% dos acidentes fatais envolvendo motocicletas. Os finais de semana concentraram 40% dos acidentes, sendo que nas sextas-feiras já se verifica um aumento em relação aos demais dias da semana. O maior númeroa de acidentes envolvendo motocicletas aconteceram à noite. Nas madrugadas de sábados e domingos houve um incremento de 70% em relação às demais madrugadas.

Grupo de Trabalho

A partir do diagnóstico, o GT se dividirá em três subgrupos para estudar ações de enfrentamento desses problemas. Serão trabalhadas questões, como a formação do condutor, relações trabalhistas, acidentalidade e sensibilização do público.

O subgrupo Legislação e Profissionalização debaterá a regulamentação das atividades de motofretistas e mototaxistas no Estado. O subgrupo Formação e Qualificação vai tratar da formação dos motociclistas, propondo reformulações, e vai estudar a qualificação do motociclista profissional e das relações trabalhistas. O grupo de Estatística e Comunicação deverá produzir estudos sobre acidentes com motocicletas, fomentar pesquisas, fazer a divulgação das atividades do GT e produzir campanhas publicitárias.

O grupo de trabalho (GT) instituído pelo Detran  é composto por órgãos de trânsito, sindicatos patronais e de classe, Justiça do Trabalho, Ministério do Trabalho e Emprego, Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest-Senat) e Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre.

Com experiências positivas em grupos de trabalho voltados aos ciclistas e aos transportadores, o Detran acredita que um novo esforço interinstitucional, desta vez centrado neste público, poderá trazer resultados práticos para a redução dos acidentes. A próxima reunião ocorrerá durante a Transposul, entre 27 e 29 de junho.

Veja AQUI os números da pesquisa.

Fonte: Governo do Estado

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: