Clique aqui para acessar

Rabiscos do Silêncio: Abertos ao infinito – Por Carlos Staczewski

 

rabiscos-2A beleza da nossa existência se traduz pela intensidade e valorização que nós damos ao processo do convívio com as pessoas, com a natureza e com Deus. Tudo isso faz sentido porque nos eleva a buscarmos dentro da nossa particularidade, forças, motivação e fé para estarmos “acordados” para o infinito.

Neste universo em que estamos mergulhados, temos a matéria e o espírito. Estes são as duas fontes que fazem transparecer tudo o que for finito a uma ligação ao infinito. Porque aqui tudo passa pela corruptibilidade, inclusive o nosso corpo com o tempo, pois é constituído de matéria. Assim também acontece com os animais, plantas, insetos, aves e pássaros, além de tantas outras espécies que embelezam, transmitem muita paz e nos fornecem alimentos para saciarmos nosso corpo.

Porém, diferentemente das outras espécies, nós humanos somos movidos pelo espírito que é a base para atingirmos o infinito. Mas para atingirmos o infinito é necessário que passemos com o nosso corpo, que é matéria finita, ao espírito infinito. Para que esse processo aconteça é necessário que saibamos transcender a matéria, sabendo valorizar a vida com a perceptibilidade de tudo o que ela nos fornece de bom e positivo.

E valorizar a vida nestas dimensões é um grande passo para podermos desfrutar desta beleza infinita, já aqui no finito. Basta alimentarmos nossos sentimentos com tudo o que for verdadeiro, nobre e incorruptível: fé, justiça e amor, numa sintonia que nos fortaleça e faça bem a quem estiver com sua liberdade deturpada com tudo o que o finito apresenta como ingratidão, desrespeito e deturpação.

Mas a vida precisa estar organizada com tudo o que for finito para podermos ver com nossa exterioridade a presença do infinito em Deus. Ele que habita tanto o finito como no infinito. Deus nunca nos abandona, mesmo quando nós muitas vezes procuramos saciar nossas vontades com imoralidades, falsidades, mentiras e tudo o que cause aborrecimentos às outras pessoas. Ele sempre espera que retomemos o caminho da paz, compreensão e arrependimento, porque nos ama com um amor imensurável.

É essencial saber mergulhar com alegria, dedicação e trabalho no compromisso com todas as pessoas que estejam passando por necessidades financeiras, de relacionamento ou abandonadas espiritualmente, ser protagonistas de um mundo melhor aqui no finito, comungando através de nossos dons, no aperfeiçoamento das ideias que gerem inclusão, respeito e liberdade. Também manter atitudes que elevem as pessoas a buscarem pelo sentido da vida.

E as pessoas não podem viver prezas ao finito das coisas deste mundo. É preciso saber compartilhar de tudo o que a matéria nos fornece e desamarrar nosso coração do acúmulo das coisas que passam. Saber olhar o valor que brota das crianças, contemplar a natureza, não desprezar os pobres e infelizes, respeitar os idosos. Colaborar com a propagação do amor com práticas respeitosas que valorizam a presença de Deus em nossas vidas e em tudo o que Ele fez.

Justifiquemos nossa presença no finito com a consciência aberta ao infinito, tendo Deus como luz e guia dos nossos passos terrenos. Coloquemos a esperança, proteção e motivação nele. E ajudemos as pessoas tristes, deprimidas, desorientadas e desoladas a buscarem as forças e amparo em tudo o que fortalece a relação com o infinito. Nas escolhas sadias, verdadeiras e corretas. Através da comunhão e partilha na vida, sempre tendo a leveza de espírito que nos faz moventes na crença e na certeza de um Deus verdadeiro e presente, não distante da nossa condição humana.

Artigos relacionados

Fechar
%d blogueiros gostam disto: